top of page

Curiosidades sobre a Ilha da Gigóia

Conheça mais sobre a história e o desenvolvimento da Ilha da Gigóia


Pesca de camarões, barcos à remo e nado na Lagoa, fazem parte da história da Ilha da Gigóia, na Barra da Tijuca.


passeio de barco ilha da gigoia
Ilha da Gigóia

Segundo geólogos, há 17 mil anos aproximadamente o nível do mar era 70 metros abaixo do nível atual. O mar tocava os pés do maciço da Pedra Branca, as montanhas que vemos ao fundo na direção do Recreio dos Bandeirantes. Ao longo de milhares de anos o processo de erosão e assoreamento fechou progressivamente a passagem formando o que é hoje a praia da Barra da Tijuca, formando as diversas lagoas e ilhas, entre elas a Ilha da Gigóia, Ilha Primeira, Ilha de São Jorge e outras.


A Ilha da Gigóia era dividida em três pequenas ilhas com um canal no meio: a Ilha da Gigóia, Ilha dos Coronéis e a Ilha Guaimun que era separada por um canal, que hoje é a Rua dos Colibris. Tinha uma ponte de madeira com acesso para a Av. das Américas e com o tempo essa ponte foi demolida.. No início, a lagoa era límpida, podia-se tomar banho, pescar camarão, peixes e andar na areia branca.


A habitação na Ilha começou com pescadores que descobriram o local. A mídia e as pessoas descobriram esse paraíso e com isso o local começou a ser "explorado”. Hoje com 7 mil moradores, a Ilha sofreu o desgaste do progresso: A Lagoa assoreou.

A Ilha da Gigóia, diferente das outras, foi a que mais cresceu e com o crescimento, junto a urbanização irregular.


O aumento de construções e o aumento da população refletiu no aumento do consumo de água e a produção de esgoto, que é despejado nas lagoas sem tratamento adequado, aumentando a poluição local, apesar disso, o meio ambiente ainda é seu maior atrativo.


Das Chalanas ao Barco Táxi


As ilhas não tinham acesso para a Avenida das Américas e para a Estrada da Barra da Tijuca, apenas através de barco. Os barcos eram à remo e depois surgiram as chalanas. Este serviço surgiu com os moradores Antônio, Zé Iris e Zé Grande e o transporte era somente diurno, depois de alguns anos, surgiu o transporte noturno com o Seu João. "Eu e meu filho entramos para ajuda-lo", conta Nilson.


Em 2015, Nilson Simão começou o serviço de Barco Táxi (Simão Express) que conta com seis barcos legalizados e 18 funcionários. As rotas dos barcos vão desde o Largo da Barra até o Barramares e funciona de 6h às 0h. Simão fornece ainda um cartão fidelidade com preço mais barato para que seus clientes fixos economizem no valor da passagem diária.


passeio de barco ilha da gigoia

Residências e Comércios da Ilha da Gigóia


Mesmo com pouca infraestrutura, a Ilha da Gigóia tem atraído novos moradores e comércios. Por conta disso, donos de terrenos passaram a construir pequenas casas para alugar. A ilha faz parte da área de preservação da Lagoa da Tijuca e seus moradores descumprem uma proibição feita há mais de 20 anos por um decreto da Prefeitura.

As edificações não atendem às regras urbanísticas vigentes, provocando visíveis danos ao meio ambiente.


Todos os terrenos da Ilha da Gigóia, bem como os das demais ilhas adjacentes, pertencem à União. O Decreto Lei número 3046 de 27 de abril de 1981 da Prefeitura do Rio de Janeiro, transformou todas as ilhas do complexo lacunar de Jacarepaguá em áreas "non edificando" para o uso residencial, ou seja: todas as edificações familiares posteriores a esta data são consideradas ilegais pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro. Em virtude da precária fiscalização dos entes públicos, a maioria desses terrenos foi desmembrada e ocupada ilegalmente. Atualmente, a maior parte dos imóveis não possui inscrição na Secretaria Municipal de Fazenda (IPTU) e podem portanto, sofrer sanções administrativas, incluindo a desapropriação e a demolição.


Atualmente a ilha possui dois mercados, duas farmácias, lojas de material de construção, horti-fruti, bares, restaurantes, salões de beleza, pet shops, pousadas e hostels, entre outros.

jet ski ilha da gigoia ilhas tijucas

Vale a pena visitar a Ilha da Gigóia?


Lógico! Como se vê, apesar de todo o "charme", a Ilha da Gigóia é uma ilha que sofre com a habitação desenfreada, mas mesmo assim é totalmente interligada à natureza, a Ilha da Gigóia é ótima opção para dias ensolarados, típicos da Cidade Maravilhosa. Por lá, os passeios de barco e por dentro da ilha são um atrativo, assim como os esportes aquáticos, como jet-ski e caiaque.


Vai visitar a Ilha da Gigóia? Temos Pacotes de Turismo ou monte seu combo AQUI.



Receba informações, cupons dos restaurantes, eventos e passeios na Ilha da Gigóia assinando nossa lista de e-mails no rodapé do site.


Não se esqueça de seguir nosso Instagram oquefazernagigoia e ficar por dentro de todas as novidades!

6 Comments


Guest
Dec 12, 2023

Vale muito, conhecer este pequeno recanto carioca.

Like

Guest
Apr 13, 2023

moro na ilha da gigoia há muitos anos e vi essa ilha crescer, sinto pela degradação do meio ambiente, mesmo ainda sendo muito linda, mas não posso reclamar do desenvolvimento que foi bom para todos também.

Like

Guest
Dec 22, 2022

Pois é, quando chove muito a Ilha alaga e só de galocha mesmo pra chegar em casa! Mas mesmo assim, amo a nossa ilha!

Like
Replying to

Com todas as suas demandas, amamos a Ilha da Gigóia! Afinal, qual lugar do Rio de Janeiro não alaga quando chove muito, né verdade?

Like

Guest
Dec 21, 2022

É uma pena, agora é aproveitar enquanto ainda temos de forma consciente e sustentável! Depende de todos nós não é mesmo?!

Like
Replying to

É uma pena mesmo, a maioria das pessoas têm consciência ambiental aqui na Ilha, mas também depende das autoridades fazerem algo para ajudar.. seguimos fazendo nossa parte!

Like
bottom of page